{"effects_tried":0,"photos_added":0,"origin":"gallery","total_effects_actions":0,"remix_data":[],"tools_used":{"tilt_shift":0,"resize":0,"adjust":0,"curves":0,"motion":0,"perspective":0,"clone":0,"crop":1,"enhance":0,"selection":0,"free_crop":0,"flip_rotate":0,"shape_crop":0,"stretch":0},"total_draw_actions":133,"total_editor_actions":{"border":0,"frame":0,"mask":0,"lensflare":0,"clipart":0,"text":0,"square_fit":0,"shape_mask":0,"callout":0},"total_editor_time":1152,"brushes_used":0,"total_draw_time":771139,"effects_applied":0,"uid":"92CD98E6-5C71-4F25-9184-CDB1A023659B_1538470642536","total_effects_time":0,"sources":[],"layers_used":2,"width":2378,"height":2818,"subsource":"done_button"}

Roy Kelton Orbison (23 de abril de 1936 – 6 de dezembro de 1988) foi um cantor, compositor e músico americano conhecido por sua voz poderosa, seu amplo alcance vocal, seu estilo de canto apaixonado, suas complexas estruturas musicais e baladas negras e emocionais. A combinação levou muitos críticos a descrever sua música como operística, apelidando-o de “Caruso of Rock” e “Big O”.

Orbison fez sucesso com inúmeras baladas, quer nos Estados Unidos quer em Inglaterra, competindo lado a lado com os Beatles, um feito que muito poucos terão conseguido, e a sua carreira estava num ponto alto quando, abruptamente, foi interrompida por um ataque cardíaco fulminante, vitimando-o aos 52 anos.

Para a história ficam temas como ‘Crying’, gravada nos anos 60, que ganhou o prémio Grammy Hall of Fame. Desde então foram muitos que deram a sua interpretação, como k.d.Land, John Maclean, Il Divo, entre outros, e que perpetuam a genialidade de Orbison.