Destaques de hoje, 27 de fevereiro:

– Os pais de dois dos três ‘grafitters’ atropelados mortalmente por um comboio na Maia, em 2015, pediram a um juiz de instrução que mande julgar o revisor da CP, que atacou os jovens com pó químico de extintor.
A morte de 3 jovens, um português e dois espanhóis aconteceu em 2015 em Águas Santas e o Ministério Público determinou ao final de três anos o arquivamento do processo.
Os pais dos dois jovens espanhóis querem que o revisor vá a julgamento alegando que houve uso desproporcionado e indevido do extintor, que diretamente contribuiu para o desfecho deste acidente”.

– A implementação da taxa turística do Porto deveria ser “progressiva” para os hostels, porque está a afastar jovens com “orçamento apertado”, grupos de escolas e universidades para outros municípios, alerta a Associação de Hostels de Portugal.
O presidente da associação, José Nuno Guerra, conta que os seus associados e as agências de viagens referem-lhe que há realmente uma perda de alguns grupos de turistas jovens, principalmente de escolas e universidades na cidade do Porto, devido à nova taxa implementada praticamente há um ano.
E dá como exemplo…Uma pessoa que venha dez dias a Portugal, cinco dias ao Porto e quatro dias a Lisboa, no final, paga mais 20 euros.

– Esta e outras notícias em Maia Primeira Mão