Conselho ministros extraordinário
Foto Rodrigo Antunes / Lusa

O Conselho de Ministros reuniu-se, esta quinta-feira, para rever a lista de concelhos com alto risco de transmissão de Covid-19 e aos quais se aplicam as medidas excecionais de combate como o recolher obrigatório.

A lista de concelhos de alto risco soma agora um total de 191 territórios espalhados por Portugal Continental.
Todos os concelhos da Área Metropolitana do Porto mantêm-se, para já, na lista.

O critério para definir um concelho como sendo de alto risco é a de ter uma taxa igual ou superior a 240 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes.

“Não está prevista qualquer limitação da circulação entre concelhos”, garante António Costa, sublinhando que, neste momento, o limite é apenas horário.
Questionado sobre os equívocos, primeiro-ministro reitera que o país “tem de fazer um esforço coletivo” para controlar a pandemia e lembra que as medidas do estado de contingência e de calamidade, decretados em setembro e outubro “não foram suficientes”.

Foi por isso, justifica António Costa, que foi adotado o estado de emergência. “O controlo da pandemia depende das ações de cada um”, avisa. “O Governo não tem prazer nem vontade de andar a complicar a vida das pessoas, a estrangular as empresas, a perturbar a sociedade, mas nós temos uma responsabilidade fundamental que é salvaguardar a vida e a saúde dos cidadãos.”

Ao fim de semana, encerramento do comércio e restauração às 13 horas e a abertura dos estabelecimentos só pode ocorrer a partir das 8 horas. Os restaurantes só podem funcionar a partir das 13 horas para entrega ao domicílio e os shoppings e hipermercados vão estar fechados.

Fora da obrigatoriedade de fechar a partir das 13 horas e de abrir a apenas a partir das 8 horas estão as farmácias, clínicas e consultórios, estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200 metros quadrados e as bombas de gasolina.