Internistas alertam que SNS está sem folga para uma pandemia da dimensão da atual

O Governo anunciou ontem a abertura de mais de 230 camas de internamento para o Norte que resultam da “reorganização” de serviços, adaptação de espaços e que provam o “esforço” do Serviço Nacional de Saúde para “dar respostas”.

O anúncio foi feito pela ministra da Saúde, Marta Temido, em Vila Verde, distrito de Braga, durante a cerimónia de assinatura de acordos com 10 Santas Casa da Misericórdia. O evento foi presidido pelo primeiro-ministro, António Costa.

No discurso, Marta Temido fez questão de “dar nota clara sobre o esforço” do Serviço Nacional de Saúde (SNS) “em cada um dos seus núcleos, em cada uma das suas instituições, de ampliar as suas respostas”.

O “esforço”, descreveu a ministra, concretiza-se na abertura de mais camas de Medicina Intensiva: “O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa terá disponíveis mais nove camas de cuidados intensivos. O Centro Hospitalar de Entre o Douro e o Vouga tem a decorrer uma adaptação de um antigo refeitório que estará pronto esta quarta-feira e que terá mais uma unidade de cuidados intensivos e Vila Nova de Gaia/Espinho com mais 28 camas de cuidados intensivos até ao final deste mês”, enumerou.

Marta Temido disse ainda que mais de 200 camas que vão estar disponíveis em Lousada e na Póvoa de Lanhoso.