Governo prorroga programa de apoio a lares
Foto de Arquivo

O Governo vai prorrogar os programas de apoio para reforço de recursos humanos em equipamentos sociais, nomeadamente em estruturas de apoio a idosos em situação de surto, afirmou ontem em Mação a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

As brigadas de intervenção rápidas que foram criadas “já fizeram intervenções em 231 instituições em situações de surto em que foi preciso recorrer a uma equipa externa por incapacidade de haver recursos humanos disponíveis”, afirmou Ana Mendes Godinho, tendo feito notar existirem 400 pessoas afetas a estas brigadas tendo sido possível, através do programa MAREESS – Medida de Apoio ao Reforço de Emergência de Equipamentos Sociais e de Saúde -, colocar até hoje 12.250 pessoas no apoio direto às instituições.

Em outubro passaram a estar disponíveis 18 brigadas de intervenção rápida para lares de idosos, uma por distrito e sob a gestão da Cruz Vermelha Portuguesa, compostas por 339 profissionais, maioritariamente auxiliares, mas também profissionais de saúde, com o objetivo de travar rapidamente os surtos. Iniciou-se também uma nova fase de testagem em massa aos profissionais dos lares.

Um mês antes, a ministra da Saúde admitia no parlamento que o apoio médico aos lares era um problema e que houve clínicos chamados a lares que não responderam, o que determinou a abertura de um inquérito pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde.

Em novembro os dados do Governo indicavam que um terço das mortes por covid-19 em Portugal tinham acontecido em lares de idosos.