Quase 70% dos concelhos portugueses em risco extremo

Quase 70% dos concelhos portugueses estão em risco extremo devido ao número de casos de covid-19, tendo registado uma taxa de incidência acumulada superior a 960 por 100 mil habitantes, entre 5 e 18 de janeiro, segundo dados oficiais.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), estão neste patamar 215 dos 308 concelhos portugueses (69,8%).

Na última análise, divulgada a 18 de janeiro, existiam 155 concelhos nestas condições, número que era quase o triplo do verificado na análise anterior.

Na nota explicativa dos dados por concelhos é referido que a incidência cumulativa “corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada”.

Com zero casos de infeção estão quatro concelhos: Corvo, Lajes do Pico, São Roque do Pico e Velas, nos Açores.

Aguiar da Beira, com 6255 casos por 100 mil habitantes, Cuba, com 6224, Figueira de Castelo Rodrigo, com 5534, Alter do Chão, com 4234 e Fornos de Algodres, com 4196, são os concelhos com maior incidência acumulada.

No Grande Porto não estão em risco extremo: Maia, Porto, Vila Nova de Gaia, Espinho, Lousada, Matosinhos, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Marco de Canavezes.