Marco Bento

Um grupo de 20 professores da Maia com mais de 50 anos frequentaram um curso, inserido no projeto Rekindle 50+, que tem por objetivo, nada mais nada menos, que motivar os docentes para as novas formas de aprendizagem com tecnologia e que estavam um pouco desencantados com a sua carreira docente.

Este é um projeto que está relacionado com o SUPERTABi, outro projeto na Maia, que já funciona numa sala de cada um dos sete agrupamentos do concelho, no âmbito do 1º ciclo. Os alunos aprendem com recurso à tecnologia e são o centro do conhecimento e da aprendizagem, cabendo ao professor a função de mediador e orientador.

O dinamizador do SUPERTABi, Marco Bento explica que o projeto Rekindle 50+ tem o propósito de voltar a encantar os professores mais velhos para a sua carreira.

“Reunimos uma turma de professores que se enquadrassem neste perfil – mais de 50 anos e desencantados com a sua carreira – e o que andamos a fazer foi encantá-los usando a tecnologia para esse fim. Durante um ano demos formação e eles estão encantadíssimos, devo dizer. Foi pegar no modelo SUPERTABi e replicá-lo para níveis de ensino diferentes, ou seja, 2º e 3º ciclos e secundário. São níveis onde já não há a mono-docência e isso implica outro tipo de interações. Os resultados são satisfatórios”, assegura Marco Bento.

O Rekindle 50+ está a ser implementado junto de professores dos agrupamentos de escolas da Maia e de Gonçalo Mendes da Maia, onde se iniciou o SUPERTABi. É que este segundo projeto vem colmatar outra situação, no seguimento da aplicação do primeiro, como explica Marco Bento: “quando percebemos que os alunos que concluíram o 1º ciclo no projeto SUPERTABi e avançaram para o 5º e 6º ano, percebemos que havia ali alunos que aprendiam de forma diferente, mas que se confrontavam com professores desconfortáveis com a forma de abordar aquele novo tipo de aluno. Para colmatar isso, fomos buscar esses professores e colocá-los dentro do processo, dando-lhes também ferramentas para poderem dar uma acompanhamento mais personalizado a esse tipo de alunos que lhes chegou.”

O facto de o projeto centrar-se nos docentes acima de 50 anos, prende-se com o facto provado de os professores se sentirem desencantados com o prosseguimento da carreira e, por outro lado, tem a ver com a parte física, em que é sabido que começa a haver algumas falhas fisiológicas a partir dos 50 anos, o que deixa os docentes mais desmotivados, esclarece Marco Bento.
O próximo patamar do SUPERTABi é dobrar o número de salas no próximo ano letivo e passar a funcionar em 14 salas dos agrupamentos do concelho.

O projeto Rekindle 50+ estará presente no encontro de setembro para a sua divulgação como mais um projeto inédito que acontece no concelho da Maia, a exemplo do SUPERTABi, e “dar-lhe também alguma visibilidade”, conclui Marco Bento.