O Ministério Público e a Polícia Marítima recorrem a testes de ADN para apurar se o corpo encontrado em avançado estado de decomposição, numa praia no concelho de Mafra, pode pertencer a Zé do Pipo. 

O MP continua a apurar mais pormenores e testemunhos no caso do desaparecimento do cantor, de 40 anos, que foi visto pela última vez de 5 para 6 de novembro de 2018, em Peniche.

Segundo o Correio da Manhã, a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou que «foi determinada a realização de um exame pericial para comparação do ADN recolhido ao cadáver encontrado» a 20 de novembro de 2019 na praia da Calada, na Encarnação, Mafra. Foi também recolhido ADN dos familiares do artista.

Zé do Pipo, nome artístico de Nuno Batista, desapareceu em novembro de 2018, junto à praia de Peniche, onde foram encontrados a viatura e os documentos. As buscas pelo artista terminaram e nunca se chegou a saber o que aconteceu.