imagem WPP

A partir deste sábado, a Maia recebe a exposição World Press Photo 2020, no Fórum da Maia. É a única cidade portuguesa a receber este ano a prestigiada exposição de fotojornalismo internacional.

O concurso World Press Photo – a principal competição do mundo para fotógrafos de imprensa, fotojornalistas e fotógrafos documentais – regressa às Galerias do Fórum da Maia e, desta vez, em exclusivo.

As fotografias premiadas são, por norma, expostas em mais de 100 cidades, passando por cerca de 45 países. Mas, este ano, a pandemia de Covid-19 também afetou a World Press Photo Foundation, e muitos dos eventos foram cancelados ou adiados. A Maia é, por isso, a única cidade portuguesa a receber a exposição.

A World Press Photo realiza-se há 20 anos, sendo este um evento “com grande relevância para o Município e para a região Norte, aguardado com expectativa pelos milhares de pessoas que habitualmente o visitam. Esperemos que também este ano as pessoas nos visitem em segurança. Vão ser implementadas todas as normas de higiene no Fórum da Maia, com distanciamento, a máscara e o gel das mãos. Cada pessoa terá 45 minutos para ver a mostra, dando assim possibilidade a que as pessoas que aguardem cá fora possam também entrar. Dentro das galerias a ver a exposição não poderão estar mais de 40 pessoas em simultâneo”, explicou ao Primeira Mão o vereador das Relações Internacionais, Paulo Ramalho.

Este ano, foram apresentadas a concurso 73.996 imagens, e participaram 4282 fotojornalistas, de 24 diferentes países (Argélia, Austrália, Bielorrússia, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Etiópia, França, Alemanha, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Lituânia, México, Polónia, Peru, Rússia, África do Sul, Coreia do Sul, Espanha, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos).

Esta exposição espelha acontecimentos do ano de 2019, promovendo uma reflexão sobre o mundo atual pelo que só na exposição de 2021 é que haverá imagens sobre a pandemia e o impacto junto da população.

A Autarquia pretende utilizar esta exposição para sublinhar a pertinência da Agenda 2030, bem como a importância dos contributos locais para os desafios globais. Nesse contexto, a Câmara irá abordar o evento de uma forma inovadora a nível mundial, encarando-a na perspetiva da referida Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Cada visitante poderá encontrar e relacionar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável do Município em cada história retratada nesta exposição, através de uma votação via digital, explicou ainda Paulo Ramalho.

Também haverá fotografias da World Press Photo a circularem nos camiões de recolha de resíduos da Maiambiente, uma forma de divulgação muito fácil, pois a Maia tem 600 kms de arruamentos onde se faz a recolha de resíduos no concelho, afirmou o autarca.

Paralelamente a esta mostra realizar-se-á uma conferência com diversos especialistas sobre “As tendências Geopolíticas no contexto da pandemia”. Deverá ter lugar dia 19 de novembro (data e hora ainda a confirmar). “Brevemente anunciaremos quem são os oradores, mas a pandemia já se faz sentir aqui na programação da World Press Photo”, refere Paulo Ramalho.

Dadas as circunstâncias atuais, a entrada na exposição será condicionada.

De 31 de outubro a 22 de novembro, entre terça e domingo (10h às 22h), poderá visitá-la gratuitamente, mas as galerias têm uma lotação limitada a 40 pessoas. O uso de máscara e o distanciamento físico são obrigatórios, e todos os visitantes terão de desinfetar as mãos à entrada e respeitar os circuitos de circulação da exposição.

Ouvir entrevista ao vereador Paulo Ramalho: