Casa Reis

A Confeitaria Moura e a Casa Reis foram categorizadas pela Câmara Municipal de Santo Tirso como “lojas com História”.

Estes locais que já contam com mais de 100 anos começaram a ser abrangidos por um regime jurídico que protege “Estabelecimentos e Entidades de Interesse Histórico e Cultural ou Social”.

Este estatuto confere às lojas o acesso a programas de apoio próprios e passam a beneficiar da proteção prevista nos regimes jurídicos de arrendamento urbano e das obras em prédios arrendados, tendo como principal objetivo, facilitar na realização de medidas de conservação que sejam precisas.

Confeitaria Moura

A Confeitaria Moura abriu portas no ano de 1892 e detém uma das versões originais da receita dos jesuítas. Diz-se que a receita entrou em Portugal através de um pasteleiro espanhol que trabalhou na pastelaria Moura. Segundo reza a história, antes de vir trabalhar para a pastelaria, o pasteleiro espanhol trabalhou numa comunidade de padres jesuítas em Bilbao e aí terá ido buscar a inspiração para o nome do doce. Os jesuítas são típicos de Santo Tirso, mas adorados em todo o país.

A Casa Reis nasceu há 159 anos e é a mais antiga no Norte de Portugal. Foi fundada por Narciso José Teixeira, que deu inicialmente o nome “Tem tudo” à loja. A loja destinava-se, nos primórdios da sua atividade à venda de fazenda, miudezas e decoração. Atualmente, o responsável pela Casa Reis é Magno Braga há 49 anos e as vendas agora são mais direcionadas para a decoração de interiores.

Alberto Costa, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, reconhece que “são, sem dúvida dois ex-libris do comércio local de Santo Tirso, cuja notoriedade vai muito além das fronteiras do concelho”.