Norte pode chegar aos 7 mil casos diários

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros convocou uma greve para novembro, relembrando a “situação muito crítica” destes profissionais. Sindicato dos Enfermeiros Portugueses vai decidir se adere.

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros Portugueses (Sindepor) convocou uma greve geral de cinco dias em novembro, justificando-a com o desgaste e a desmotivação destes profissionais.

Em declarações à Agência Lusa, o presidente do Sindepor, Carlos Ramalho, disse ter a certeza de que a população estará ao lado dos enfermeiros, que “têm feito muitos sacrifícios ao longo dos anos”. “Os utentes que já recorreram ao Serviço Nacional de Saúde sabem bem os sacrifícios que os enfermeiros portugueses sempre fizeram e continuam a fazer. Com a pandemia descontrolada, também serão os primeiros ao compreender como é que os enfermeiros se sentirão”, afirmou.

“Por muito que o Governo anuncie que contratou mais enfermeiros, esses contratos são altamente precários. A situação é cada vez mais precária e não pode continuar a assim”, afirmou o responsável, sublinhando que Portugal é um dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) com menor número de enfermeiros por mil habitantes. “Numa fase destas [pandemia de Covid-19] a sobrecarga é tal que os enfermeiros já não conseguem aguentar mais”, acrescentou.

A direção nacional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, a estrutura mais representativa do setor, vai reunir na próxima quarta-feira para decidir se adere ou não a esta greve.