Ataque na Alemanha

Pelo menos quatro pessoas morreram e 30 ficaram feridas depois de um condutor ter atropelado um grupo de transeuntes numa zona pedonal em Trier, na Alemanha. Autarca de Trier diz que há uma criança entre as vítimas mortais.

O condutor do veículo, um homem de 51 anos, já foi detido e está a ser interrogado, mas ainda não há informação sobre o que motivou o atropelamento. O automóvel tem matrícula da cidade de Trier.

Informações iniciais davam conta de duas vítimas mortais, mas por volta das 17h00, a imprensa alemã atualizou os dados para quarto mortos, entre eles uma criança, segundo o jornal local Trierischer Volksfreund. Essa informação foi confirmada por Wolfram Leibe, presidente da autarquia, que revelou em entrevista à estação pública alemã SWR que alguns dos cerca de 30 feridos estavam em estado grave e que entre as vítimas mortais haverá uma criança.

De acordo com uma testemunha ocular citada por este meio de comunicação social local, o veículo seria um Range Rover cinzento que seguia em alta velocidade. Várias pessoas passavam naquela zona no momento em que o veículo guinou para dentro do passeio. Trier, ou Tréveris, é conhecida como a cidade mas antiga da Alemanha e é tradicionalmente muito procurada por turistas. A cidade fica Trier fica a cerca de 200 quilómetros a oeste de Frankfurt, perto da fronteira com o Luxemburgo.

A polícia daquela cidade, que fica na região oeste da Alemanha, pediu que se evite o centro da cidade, para onde foram enviados vários meios de emergência. As autoridades abriram um cordão de segurança que permite o atendimento dos feridos. Há helicópteros a sobrevoar a zona.

Um vídeo que tem circulado nas redes sociais mostra o veículo envolvido no atropelamento em cima de um passeio na avenida alemã e, ao lado, a detenção do condutor pelas autoridades. Outras imagens mostram o indivíduo a ser levado para a esquadra e os comerciantes a repor as esplanadas que foram destruídas pelo acidente. A polícia está a pedir que não se divulguem vídeos do acidente, embora coloquem a hipótese de as próprias autoridades virem a pedir imagens e fotografias do local para a investigação.

A Alemanha reforçou a segurança de zonas pedestres nas cidades depois de um ataque terrorista levado a cabo em 2016 num mercado de Natal de Berlim ter provocado 12 mortos.