Trabalhadores de serviços de apoio hospitalar iniciam hoje greve de dois dias

Os trabalhadores da restauração e serviços de apoio aos hospitais cumprem hoje o primeiro de dois dias greve para reivindicar melhores salários e compensações pelo esforço no período da pandemia, concentrando-se hoje frente ao parlamento.

A greve, marcada pela Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (FESAHT), afeta à CGTP, é acompanhada de uma “concentração simbólica” frente à Assembleia da República, hoje, pelas 11:00, com cerca de 50 trabalhadores, para “sensibilizar os deputados”, aos quais a federação quer entregar uma moção, para a situação dos trabalhadores do Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH).

Aos deputados e ao Governo estes trabalhadores exigem ser incluídos na compensação prevista para os profissionais de saúde que estiveram na linha da frente no combate à pandemia de covid-19.

Entre as reivindicações dos trabalhadores junto da empresa estão aumentos salariais, redução do horário de trabalho para 35 horas semanais, melhorias do pagamento do subsídio de risco e do pagamento do trabalho ao fim de semana, atualização do subsídio de alimentação, reforço dos quadros de pessoal e fim de ritmos de trabalho intensos, entre outros.