ACP 500 milhas 7 - Imagem ACP clássicos

A 15ª edição das 500 milhas ACP teve partida na Maia na madrugada de sábado passado, dia 12. Estiveram na Maia, desde a tarde de sexta-feira, cerca de 150 pessoas, sendo que destas 61 eram participantes na prova.

Com partida da Maia e chegada a Palmela, o trajeto dos clássicos passou por Fafe, Mondim de Basto e Santa Marta de Penaguião. A EN2 conduziu depois os participantes até ao Douro, seguindo-se Penalva do Castelo. O regresso fez-se em direção ao sul, passando pelo Alentejo, para terminar em Palmela.

Os automóveis chegaram à Maia durante a tarde de sexta-feira, dia 11, e saíram em direção a Palmela a partir das 6h31 de sábado.

A Câmara da Maia considera que esta parceria, através da sua unidade de Turismo, com o ACP – Automóvel Clube Portugal foi “um verdadeiro sucesso”. Paulo Ramalho, vereador da Economia da autarquia sublinhou que se trata de uma ação “dinamizadora da economia local e de promoção do território da Maia”.

“É preciso não esquecer que este evento trouxe à Maia cerca de 150 pessoas e que uma boa parte delas ficou alojada em equipamentos hoteleiros da Maia…” – sublinhou Paulo Ramalho.

Paulo Ramalho acompanhou o presidente da Câmara da Maia, Silva Tiago, na visita pela concentração de automóveis clássicos, que estiveram em exposição em frente aos Paços do Concelho desde a tarde de sexta-feira até ao momento da partida.

A vitória nesta prova foi para a equipa do Fiat 1100 Millecento (1957) – Luís da Silva Garcia/João Serôdio.

Em segundo lugar ficou outro clássico de 1957, Porsche 356 A, conduzido pela dupla Frederico Valsassina/Vasco Mendes.

Nuno Serrano/Alexandre Berardo foi a equipa que conquistou a terceira posição sobre as quatro rodas do Porsche 912 Coupé (1968).