As autoridades de Saúde já mandaram encerrar duas indústrias de Matosinhos, cujas torres de refrigeração terão estado na origem do surto de Legionella na região. Nomes das empresas não foram ainda divulgados.

O funcionamento das torres de refrigeração de duas indústrias em Matosinhos foi suspenso, na quinta-feira da semana passada, como “medida cautelar” por suspeita de estarem na origem do surto desde o final de Outubro, refere o jornal Público.
O surto de legionella já provocou a morte de 9 pessoas e infetou perto de 100.

A informação sobre a suspensão foi prestada ontem pela Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN), depois de ter sido já discutida na Assembleia Municipal de Matosinhos, na noite anterior.
O tema foi levantado pelos grupos municipais da CDU e do Bloco de Esquerda (BE), que pediram explicações à presidente da câmara, Luísa Salgueiro, sobre o surto.

De acordo com o jornal Público, a presidente da câmara respondeu aos grupos municipais revelando que na quinta-feira da semana passada fecharam instalações fabris relacionadas com o surto, mas que não podia revelar quais eram as empresas porque o caso estaria no Ministério Público.

Assim que ficar provado que as estirpes de legionella encontradas nas indústrias são as mesmas que se registaram nos infetados, estes ou as famílias (no caso dos falecidos) podem intentar ações judicias pedindo indemnizações às empresas.

(Notícia publicada pelo jornal Maia Primeira Mão)