Governo vai investir seis mil milhões de euros para acelerar o turismo

O ministro da Economia explicou, este sábado, o apoio de 20% da perda de receitas dos restaurantes forçados a fechar portas neste e no próximo fim-de-semana.

Na quinta-feira, depois da reunião do Conselho de Ministros, o primeiro-ministro anunciou que haverá um apoio de 20% da perda de receitas dos restaurantes, forçados a fechar portas neste e no próximo fim-de-semana, face à média dos 44 fins-de-semana anteriores (de janeiro a outubro 2020).

Este sábado, numa conferência de imprensa, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, anunciou que o apoio extraordinário anunciado por António Costa vale 25 milhões de euros.

A ideia do Governo, explicou o ministro, é calcular o que os restaurantes fariam de receita caso não estivessem fechados agora e não se estivessem a operar num ano sem pandemia.

Siza Vieira disse ainda que o setor da restauração já perdeu cerca de 1860 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano e, por isso, considera que os apoios anunciados até agora são já uma ajuda considerável.

O ministro afirmou que, “entre as medidas já aprovadas e aquelas a disponibilizar a curto prazo”, o Estado já destinou 1,1 mil milhões de euros em apoios para o setor, dos quais 500 a fundo perdido. O governante declarou ainda a vontade de começar a fazer pagamentos já em dezembro.

“Há um compreensível desespero nas situações mais extremas, nomeadamente em zonas em que a procura desapareceu por completo”, reconheceu Siza Vieira, admitindo, porém, o Governo não vai conseguir acorrer a todos.

“Sabemos que não vamos conseguir acorrer a todas as situações. (…) É impossível compensar integralmente as perdas da restauração”, lamentou.