Jaime Pinho_foto de arquivo PM

O vereador Jaime Pinho pediu para a Câmara da Maia o considerar como vereador independente no executivo, depois de se ter desfiliado do JPP, Juntos Pelo Povo. O vereador foi eleito na coligação entre o PS e o JPP – Um Novo Começo.

O líder da oposição e da coligação Um Novo Começo, Francisco Vieira de Carvalho, convidou Jaime Pinho a “renunciar ao mandato”, após o que considerou “lamentável incidente” ocorrido antes do início da sessão solene comemorativa dos 47 anos do 25 de Abril.

Da parte do JPP Maia, o seu coordenador Élvio Sousa confirma que o vereador maiato “requereu a desfiliação do Movimento JPP, após posição do JPP relativamente à situação, que já tivemos publicamente de repudiar, e de solicitar as sinceras desculpas pelo sucedido”.

Mas quanto ao mandato na vereação, Élvio Sousa remete a questão para Jaime Pinho, esclarecendo que “o mandado do vereador é indivisível e, portanto, as ações subsequentes derivam da consciência e da ética de cada qual”.

O Maia Primeira Mão já questionou Jaime Pinho que remeteu para uma resposta por escrito, que ainda aguardamos.

Recorde-se que a polémica surgiu na sessão de comemoração na manhã do 25 de abril, onde Jaime Pinho participou via zoom de sua casa.

O vereador esqueceu-se do microfone ligado e chamou “cabra…” a Carla Dias e “filho da p… a David Tavares, ambos deputados na Assembleia Municipal da Maia eleitos pela mesma coligação de Jaime Pinho, “Um Novo Começo” (PS/JPP).