imagem Tânia Ramos CMM

A Câmara da Maia atribuiu apoios financeiros a IPSS para possibilitar o seu trabalho de apoio aos mais desfavorecidos e compensar perdas relacionadas com a pandemia.

O Município aprovou a atribuição de uma comparticipação financeira às Instituições de Solidariedade Social da Maia, no valor total de 334 mil e 746 euros. Este apoio pretende contribuir para que estes parceiros sociais possam continuar a desenvolver a sua atividade, compensando parcialmente os custos e perdas relacionados com a pandemia de Covid19.

A Câmara Municipal apoia agora quem, “ao longo dos últimos anos, tem estado ao lado da autarquia na prossecução daquelas que são as suas competências na área social e no desenvolvimento das suas políticas sociais, especialmente no domínio da infância, dos idosos e da deficiência”, refere o presidente da Câmara da Maia.

Também as Conferências Vicentinas da Maia, a Refood Maia Centro e a Re(criar) vão receber da Câmara da Maia uma comparticipação financeira de 25 mil 160 euros, que vem no seguimento da primeira verba atribuída em abril de 2020, de 120 mil euros, para apoio alimentar a famílias maiatas frágeis economicamente, ou que tivessem sido afetadas pela primeira vaga da pandemia de Covid19.

Em paralelo, o Município atribuiu 250 mil euros para a comparticipação financeira da construção da creche de Santa Luzia. Esta é a última tranche de um contrato estabelecido entre a Santa Casa da Misericórdia da Maia, entidade que levou a efeito a construção da mencionada creche, e a autarquia, que assumiu o compromisso de comparticipar financeiramente a construção deste equipamento social de elevado e reconhecido interesse municipal.

Com capacidade para acolher 58 crianças, esta creche de Moreira da Maia surgiu no âmbito do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, em 2012. 
 
(Notícia em Maia Primeira Mão)