Reuniao Câmara_imagem de arquivo

O presidente do município da Maia, Silva Tiago, afirmou na reunião de câmara desta semana que a recente sentença do Supremo Tribunal Administrativo (STA) representa o fim de uma “vergonhosa tentativa de sabotar a Democracia”.

Logo no início da reunião, Silva Tiago leu uma declaração congratulou-se com o facto de se “ter feito justiça”, chamando a atenção para o facto de o Tribunal Superior ter ido “ao fundo da questão, à substância do problema, e decidiu que a nossa perda de mandato não se justificava, face à fragilidade dos factos perante a Lei”.

“Assim, por mais que custe ao JPP, aos seus representantes e ao seu parceiro de coligação, convenientemente silencioso, o mandato que a maioria dos maiatos nos confiou, será cumprido até ao seu termo, respeitando a sua livre vontade, sufragada democraticamente em outubro de 2017”.

Na sua declaração, o presidente da Câmara dirige-se também aos funcionários do universo municipal: “Quero aqui diante a Câmara Municipal expressar a minha imensa satisfação e orgulho pela forma como a comunidade humana que trabalha no nosso Município soube prosseguir no cumprimento da sua missão de servir a Maia e os maiatos, mantendo-se imperturbável e coesa, demonstrando sempre perante mim, uma inabalável lealdade, empenho e dedicação inexcedíveis”.

O autarca maiato concluiu declarando: “fortalecido pelos valores da verdade, da Lei e da Justiça continuarei a trabalhar ainda com mais entusiasmo, com mais energia e denodo, a bem da Maia e de todos os maiatos, sabendo que poderei contar com todos quantos fazem do trabalho uma forma de dignificar a sua existência e participação na vida da comunidade a que pertencem. É, aliás, o que sempre fiz”.